Férias livres!

Por Carolina Paixão*

No domingo passado fizemos um passeio incrível. Desses de recarregar a energia! Eu, marido e filha (2 anos), guiados por outro casal de amigos e seu filho (4 anos), fomos conhecer uma cachoeira há uns 30 km de casa. Paramos na casa de uma família muito especial, que mora em um bairro rural, mãe, pai e 3 crianças. Eles são artistas, bioconstrutores, educadores, moram em uma casa muito diferente, inspiradora, cheia de arte, criam seus filhos amorosamente e sonham com uma escola livre. Eles nos levaram por uma trilha linda, dentro do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, aqui em Santa Catarina. Para nossa surpresa, a trilha fechada e cheias de desafios nos levou a uma cachoeira maravilhosa! Queda alta, poço grande, fundo e gelado! Dia de céu azul, sol quente de inverno e logo as crianças se banharam peladas nas águas do Rio Vermelho. Levamos alimentos para um piquenique e o dia passou sem que nos déssemos conta. Dia perfeito!

Nós não estamos de férias, minha filha não vai a escola mas senti aquela sensação de relaxamento que só o período de férias me proporcionava na infância e quando eu trabalhava formalmente, sabem?

No dia seguinte, me atualizando das notícias, emails, me deparei com uma matéria que dizia que os acampamentos de férias estão proporcionando uma aventura radical as crianças: ficar sem celular. (http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2016/07/1788561-nas-ferias-criancas-vivem-desafios-do-acampamento-sem-celular.shtml). Primeiro para que as crianças fiquem mais independentes de seus pais e depois para que as consequencias do uso desenfreado do celular se amenizem.

Eu nem vou comentar sobre a necessidade de criar filhos independentes, mesmo porque alguns dos depoimentos das crianças me chamaram mais atenção: “Eu sou viciada em celular…” ou “Eu conheci as pessoas e me senti livre.”

Então, me vi na frente de dois cenários. Um onde as crianças são livres e outro em que as crianças se sentem aprisionadas. E outro dia uma amiga me contou que perguntaram para ela: e se seu filho quiser um iphone você não vai dar para ele? Como se estivéssemos criando filhos dentro de uma bolha, sem perceber que estão na bolha as crianças que se sentem aprisionadas e os pais que acreditam que as experiências mais significativas da vida estão em oferecer um celular aos seus filhos. Ou por insegurança, ou por controle, ou por consumismo ou porque perderam em algum momento o prazer de estar junto.

Por isso, nessas férias, CONSUMAM natureza. Consumam tempo junto com seus filhos sem nenhuma tela por perto. Conheçam lugares e pessoas novas e conversem com elas olhando nos olhos. Movimentem seus corpos. Respirem ar puro, faça uma trilha. Brinquem muito! Sejam livres!

Deixe um comentário