Maternidade em tempos de pandemia

Não é fake news, Coronavírus é real. Chegamos a um ponto de ter de ficar em casa, o famoso isolamento e para quem está com sintomas, a quarentena. Sabemos que além de ser importante a educação diária dos nossos filhos, o tempo na escola/cursos e etc, são fundamentais conseguirmos trabalhar tranquilas, mas com o surto do vírus muitas escolas fecharam e com elas, algumas empresas liberaram seus funcionários para fazer home office e outros continuam trabalhando, aí é que está, com filhos fora da escola e responsáveis trabalhando com quem essas pessoas podem deixar os pequenos?

Sabemos o quanto é importante o isolamento, mas em muitos casos não temos alternativas e cá entre nós, esse problema não é de hoje, a falta de vagas nas creches é um problema que acontece há anos e pessoas que trabalham fora ficam sem alternativas de cuidados com os pequenos. Segundo um levantamento feito pelo IBGE, crianças de 0 a 3 anos que estão fora da escola fazem parte dos 20% com a renda domiciliar per capita mais baixa do país, 33,9% estão fora da escola porque não existe vaga ou creche perto delas.

Familiares e grupo de risco

Muita gente deixa os filhos com os avós, mas também sabemos que esses também são grupo de risco. E a solução? Ainda estamos procurando.

Quem ainda não foi dispensada do trabalho, tem de se virar para fazer essa conciliação, a Socorro que trabalha como designer gráfico, precisa intercalar entre levar sua filha ao trabalho e deixá-la aos cuidados de alguém de confiança. “Às vezes a levo pro trabalho, às vezes deixo com minha mãe que é de risco porque teve câncer, não tenho outra opção. Trabalho numa sala sozinha, então, é tranquilo levar minha filha, mas quando preciso ir a banco ou coisa do tipo, o jeito é deixar na minha mãe. Ela fica no canto dela e minha mãe no dela. Estou tomando todos os cuidados, mas morrendo de medo”, conta.

Já para as mães que estão em casa, combinar rotina com as crianças é uma das alternativas, muitas buscam dicas na internet dicas sobre o que fazer na quarentena e, infelizmente, algumas são totalmente inviáveis para uma mãe solo, principalmente quando as crias são pequenas. “Eu tentei criar uma rotina com minhas filhas, mas não adiantou muito. Crianças menores têm uma compreensão um pouco diferente e demandam mais atenção”, conta Viviane que trabalha no ramo do turismo corporativo e que conversou com suas filhas sobre os momentos que estaria ausente para atender chamados do trabalho. “Combinei que ninguém viria no quarto quando a mamãe estivesse ao telefone”, explica.

Atividades para fazer com as crianças

Neste tópico, eu poderia colocar uma lista de atividades muito legais para fazer com as crias, daquelas que envolvem colagem, lantejoula, pintura e, apesar de serem atividades ótimas e ajudarem no desenvolvimento dos pequenos, elas podem não ser tão práticas e acabam, em vez de proporcionar um ambiente de descanso e lazer, causando mais trabalho do que o esperado e acredito que seja disso que você esteja fugindo, principalmente quando não tem rede de apoio, porém casa pra arrumar e aquela reunião por vídeo chamada para fazer.

Mas, qual a solução? Deixe as crianças brincarem. Elas são seres que usam a imaginação de uma forma mágica, transformam qualquer batata em carrinho ou boneco, o mais simples é sempre o que mais vai aguçar e trabalhar a imaginação do seu pequeno. Uma das alternativas fáceis e baratas é colocar brinquedos na sala e deixar lápis de cor, giz de cera e papel à disposição, combine sobre o horário de guardar, imprima desenhos dos personagens favoritos deles e deixe a imaginação falar mais alto. A Camila Santos, que é responsável pela ONG Mulheres em Ação no Alemão que o diga. “Os meus filhos agora pouco me convidaram pra assistir esse espetáculo. Quatro dias sem sair de casa”, conta.

Se você costuma deixar seus filhos com eletrônicos, existem canais específicos de desenhos, o Youtube Kids mesmo é uma plataforma bem bacana que pode servir de distração quando o seu telefone toca, por exemplo. Obviamente, tudo seu tempo, então, combine horários onde eles possam aproveitar os desenhos.

Estar com os pequenos em casa junto com o trabalho não é uma tarefa simples, principalmente em tempos de pandemia. No cotidiano normal acabamos nos culpando devido toda romantização em torno da maternidade e estar passando por um momento tão tenso de saúde como o atual, faz os ânimos se exaltarem, principalmente quando não se tem uma rede de apoio, então, não se cobre, você está fazendo o seu melhor como mãe e profissional. Está tudo bem se sua cria não tomar banho um dia, jantar pipoca uma vez na semana, ficar no tablet pra você descansar, porque por mais que essas listas de coisas pra fazer sejam legais, muitas vezes não condizem com a nossa realidade e podem criar em nós aquela cobrança de que tudo tem de sair perfeito, se não logo vem o “falhei miseravelmente”, mas não, você não falhou, só está tentando ser a melhor que pode.

E a última dica, mas não menos importante, não saiam de casa, vamos respeitar esse tempo de isolamento até que esse surto de coronavírus dê uma trégua. Converse com seus pequenos sobre a importância de lavar as mãos, tente fazer desta uma tarefa divertida.

E para você, quando sobrar um tempo (que é difícil), converse com outras mulheres na mesma situação que a sua. Atualmente, temos muitos grupos, páginas no instagram, blogs e grupos no whatsapp que podem dar uma força. Consuma conteúdos que te deixem tranquila em relação a essa fase e não aqueles que vão  te deixar mais apreensiva em relação a ter de dar conta de tudo, porque como já mencionei em outros textos por aqui, não somos super-heroínas.

Sigamos bem e com saúde!

_______________

Jo Melo, é mãe do Juan, pesquisadora e profissional de Marketing. Ativista pelos direitos das mães e contra a romantização da maternidade, luta por uma sociedade mais justa para mulheres e seus filhos, ama plantas, detesta julgamentos.
É fundadora da Revista Mães que Escrevem.

Deixe um comentário