Sobre maternidade, escolas e o cuidado

Dando continuidade a reflexão sobre a questão da maternidade e do trabalho:

Quando pensamos na realidade de mulheres mães e incluímos os recortes de classe social, racial, presença do pai na casa, embora o desafio relacionado ao trabalho seja compartilhado por praticamente 100% das mães ele tem intensidade bem diferente.

O que estamos vivendo é uma das questões mais complexas relacionadas maternidade, trabalho , educação e cuidado das crianças dos últimas décadas.

A pluralidade de situações, de famílias, de escolas particulares e públicas compõe o desafio de imaginas soluções.

Buscar soluções exige um pensamento coletivo da sociedade , do setor público e privado.

Se o cuidado das mulheres e a parentalidade não é prioridade , se o cuidado não é reconhecido como pilar de sustentação social as possibilidades de soluções se perdem perante a lista de medidas que uma pandemia exige para manutenção da saúde pública e da economia.

A pandemia impactou toda sociedade mas a possibilidade de fazer quarentena e trabalhar remotamente foi e ainda é um privilégio.

É claro que quando pensamos que para algumas pessoas o isolamento já dura mais de de cinco meses e meio a palavra privilégio parece perder o sentido mas na pratica o distanciamento social só foi possível para uma parcela da população.

A realidade é que a possibilidade de trabalhar remotamente depende do tipo de atividade exercida, de acesso a internet de qualidade e espaço na casa.

Assim podemos dizer que existe uma diferença em como os brasileiros, especialmente os mais pobres vão absorver os custos sociais e econômicos da Covid-19 e essa consciência de classe é o primeiro passo para tentar entender boa parte das questões sociais no Brasil.

O que precisa ser feito para que o cuidado seja reconhecido como pilar social ?

Deixe um comentário